Filtros

Continente

País

    671 - COSTA do MARFIM No coração do Oeste de África

    Tipo: Circuito
    Partida: Abidjan
    Duração: 14 dias
    Chegada: Abidjan
    Destaques: Abidjan, Bouake, Baulé, Kong, Ferkessedougou, Korhogo, Boundiali, Odienne, Man, Yamoussoukro

    Itinerário

    Circuito Regular| 23 refeições incluídas
     
    ITINERÁRIO (Resumo):
    1º dia – 
    Portugal/ Abidjan (avião)
    2º dia – Abidjan (dia livre)
    3º dia – Abidjan / Bouake (avião)
    4º dia – Bouake / Kong
    5º dia – Kong / Ferkessedougou / Korhogo
    6º dia – Korhogo
    7º dia – Korhogo / Boundiali
    8º dia – Boundiali / Odienne
    9º dia – Odienne / Man
    10º dia – Man
    11º dia – Man / Daloa
    12º dia – Daloa / Yamoussoukro
    13º dia – Yamoussoukro / Abidjan / Grand-Bassam
    14º dia – Grand-Bassam / Abidjan
    15º dia – Abidjan / Portugal (avião)
    16º dia – Chegada a Portugal


     
    Legenda (P, A, J)
    P = Pequeno-almoço A = Almoço J = Jantar
     

    1º dia – PORTUGAL ABIDJAN (-, -, -)
    Partida para Abidjan. Chegada e transfer para o hotel. 

     
    2º dia – ABIDJAN (dia livre) (P, -, -)
    Pequeno-almoço. Dia livre. Alojamento.
     
    3º dia – ABIDJAN  BOUAKE (P, A, J) 
    Pequeno-almoço. Formalidades de embarque e partida com destino a Bouake. Chegada e transfer para o hotel. Saída para conhecer o povo Baulé, descendentes da tribo Akan, do Gana. Os Baulé, partilham com os seus primos, os Ashanti, uma complexa hierarquia social, que expandiu as suas tradições culturais por levarem influências dos seus vizinhos. O seu artesanato complexo mostra essa rica herança: estátuas finas que representam o mundo dos espíritos e belas máscaras. Visita a algumas aldeias. Oportunidade para ver a dança das máscaras de Goli, realizada tanto em festas como num funeral de uma pessoa de alto escalão. A tribo de Baulé adoptou esse ritual da tribo vizinha de Wan após 1900. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    4º dia – BOUAKE / KONG (P, A, J)
    Pequeno-almoço. De tarde seguimos para o Norte até à velha cidade de Kong, localizada na região da savana com árvores como baobab (Adansonia digitata) e outras espécies. A sua origem remonta ao século XII, tendo este reino antigo emergido como um centro comercial, quando os comerciantes do Império Mali começaram a operar no território do povo vizinho de Senufo. Muitos afirmam que Kong foi a “origem” do grupo étnico Mandé, comerciantes conhecidos em toda a África Ocidental como a Diola, que transformou Kong num importante ponto comercial entre a caravana de sal e mercadorias do Saara e as exportações da floresta do sul, como nozes de cola, ouro e escravos. A Mesquita de Kong é o melhor exemplo da arquitectura tradicional sudanesa na Costa do Marfim. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    5º dia – KONG / FERKESSEDOUGOU / KORHOGO (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Saída até Ferkessedougou, cuja cidade é conhecida pelo comércio local de vacas Zebu e pelo seu mercado que vale a pena conhecer. Continuação em direcção a uma aldeia remota, onde poderá assistirá ao processo de derreter o ferro de forma tradicional, exemplos únicos de metalurgia tradicional em África. Esta “tecnologia tribal” nos leva de volta à Idade do Ferro na África, quando o material dominante de fabrico de ferramentas se tornou o ferro. As técnicas tradicionais de fundição de ferro são segredos bem guardados e apenas aqueles que nascem em famílias de ferreiros, podem usufruir o longo aprendizado na arte. Segundo a cultura local, estes são temidos por possuírem poderes mágicos obscuros, capazes de transformar um sólido pedaço de ferro em líquido e, novamente, sólido numa forma diferente. Mestres do “poder do fogo” e capazes de chamar os “espíritos do coração” com seus poderosos martelos que soam como tambores misteriosos, estes muitas vezes têm que viver fora das aldeias. Por outro lado, os ferreiros são altamente preciosos pelo fabrico de ferramentas em ferro que permitem extensa agricultura e de armas para a caça, necessárias para sustentar grandes centros urbanos. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    6º dia – KORHOGO (P, A, J)
    Pequeno-almoço. De manhã, voltamos à aldeia de fundição de ferro tradicional para ver o resultado final. A base selada do forno de argila será partida para extrair o ferro incandescente. Depois, com a ajuda de um fole, irá continuar todo o processo até obter a forma desejada para o polimento final. A metalurgia tradicional do ferro é um exemplo raro de uma antiga “tecnologia tribal”. Considerou-se que desapareceu há mais de 80 anos até a descoberta desta aldeia. A cidade de Korhogo é visita obrigatória para qualquer visitante das regiões do norte da Costa do Marfim. Seguimos para Korhogo, uma paragem obrigatória no norte da Costa de Marfim. A sua história data do século XIII, e é a capital da tribo Senoufo, uma das tribos que produziu grandes trabalhos de arte em África, em quase todos os campos: escultura, tecelagem, pintura e metalurgia. Visita do interessante mercado de artesanato onde poderá descobrir esculturas de madeira e têxtil com os tradicionais padrões Senufo, que inspiraram artistas modernos como Pablo Picasso, que viajou até aqui para conhecer e trocar experiências com artistas locais. Os Senufo são conhecidos pelos seus complexos ritos de iniciação. Poro, o início dos jovens é um longo processo que leva 21 anos para ser completado. É a passagem da juventude para a idade adulta e consiste em aprender os segredos sociais e religiosos que transformam um jovem num verdadeiro Senufo. As suas danças de máscaras mais espectaculares são as Boloy, ou a dança da pantera, realizada pelo iniciado, que poderá ver durante a tarde. Ficamos dois dias na região de Korhogo. Se no período em que ficar na região de Korhogo ocorrer um funeral tradicional, não irá perder a oportunidade de ver a dança das máscaras sagradas realizada durante uma cerimónia especial. Regresso ao hotel. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    7º dia – KORHOGO / BOUNDIALI (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Saída para descobrir a aldeia de Niofoin, os celeiros de argila decorados com motivos simbólicos e uma casa sagrada única, com um alto telhado cónico e decorada com objectos sagrados dos cultos animistas, ainda praticados pelo povo Senufo. Mais tarde, encontrará os inconfundíveis nómades Fulani, constantemente em busca de pastagens para os seus rebanhos de zebus. Os Fulani podem ser facilmente reconhecidos pelos seus chapéus de palha cónicos, suas bengalas que eles sempre carregam sobre os ombros, a garrafa de água em volta do pescoço e pela sua postura cheia de orgulho. Acostumados, como estão, a uma vida difícil e de simples alegrias, parecem perfeitamente bem com o pouco que podem levar com eles. Eles são os verdadeiros cavalheiros desta eterna savana. Visita a uma aldeia, principalmente habitada por mulheres e crianças, que o convidarão para entrar nas suas cabanas e ver fotos familiares antigas, presentes doados, e muitas outras coisas. As mulheres usam belos tecidos coloridos e jóias tribais únicas ao redor do pescoço e nos cabelos. No final da tarde, poderá ver a dança das meninas virgens, chamada Ngoro, parte da iniciação de Poro, realizada pelos Senufo. Os jovens iniciantes passam meses juntos em isolados bosques sagrados, onde aprendem os segredos sociais e religiosos que transformam um homem num genuíno Senoufo. Depois de sete anos, há uma grande celebração para aqueles que passaram por todas as etapas de iniciação. Particularmente a dança das meninas virgens é realizada após o primeiro estágio de iniciação. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    8º dia – BOUNDIALI / ODIENNE (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Saída em direcção à aldeia do povo Malinké, descendentes do antigo império do Mali. Vivem perto de Odienne e tornaram-se, praticamente todos, muçulmanos. Entre grandes nomes na história deste grupo étnico destacamos Samory Touré, que lutou contra o colonialismo. Entre os seus melhores guerreiros encontrava-se o Dozo, um guerreiro conhecido pela sua coragem e pelos seus poderes místicos. Encontro com o “Dozo” e caminhada pela savana acompanhados por caçadores, vestidos nos seus trajes típicos feitos de bogolan (tecido típico do Mali) transportando as suas armas cobertas de amuletos. Pequena conversa com este grupo sobre os poderes das plantas e visita à aldeia de Malinké, onde, com o ritmo crescente de tambores, este povo dança e dá provas da sua força.
    Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    9º dia – ODIENNE / MAN (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Saída para se encontrar com o Yacuba, também conhecido como Dan. Visita às aldeias construídas nas encostas e caracterizadas por grandes cabanas redondas com telhados de palha - algumas das casas estão decoradas com frescos feitos pelas mulheres durante os períodos cerimoniais. No meio dos ramos perfumados das plantações de café e ao pé de uma enorme árvore de Iroko, visitará uma grande lagoa habitada pelo venerado peixe-gato, o guardião dos ancestrais. Continuação em direcção ao Sul. Quando começar a ver o Mount Tonkpi e o seu “dente”, estará perto do seu destino. Man, desenvolveu-se no sopé de 18 montanhas extremamente verdes e é a capital dos grupos étnicos de We e Guéré. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    10º dia – MAN (P, A, J)
    Pequeno-almoço. A floresta tropical que se estende entre a Costa do Marfim e a Libéria é famosa por suas longas pontes de lianas. A origem dessas pontes está envolvida em mistério (elas foram secretamente construídas por jovens iniciados ao longo de apenas uma noite!). Não é difícil atravessar essas pontes, desde que não carreguem muito peso ou bebés de colo. Numa pequena aldeia próxima, amáscaras emergirão da floresta em nossa direcção. Na cosmogonia do povo Guéré, há um deus criador que se comunica com os humanos apenas através de seus intermediários, as máscaras. Segundo a cultura local, durante a dança das máscaras, a distância entre os mundos humano e espiritual desaparece; as ordens cósmicas e sociais são restauradas; E a gratidão é expressa aos deuses e aos antepassados. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    11º dia – MAN / DALOA (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Saída em veículos 4x4 para descobrir a remota região florestal onde habita o grupo étnico Guéré. Oportunidade para apreciar as suas danças tradicionais. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    12º dia – DALOA / YAMOUSSOUKRO (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Na região de Daloa, assistimos à dança de máscaras Zaouli. Zaouli é uma dança tradicional do povo Guro. Continuação da viagem em direcção a Yamoussoukro. Em Yamoussoukro, a capital política e em Abidjan, a capital económica, o sonho ivoiriense dos anos 70 e 80 tornou-se uma realidade, o sonho de um país que conseguiu rivalizar com capitais europeias em termos de arquitectura e tamanho dos edifícios. Com a morte de Houphouët-Boigny, a cidade de Yamoussoukro permaneceu, no papel de a capital formal, mas o presidente, governo e administração dos ministérios estão todos em Abidjan. Um dos destaques é a Basílica da Nota-Dame de la Paix (Basílica da Nossa Senhora da Paz), reconhecida pelo livro de records mundiais Guinness em 1989 como o edifício religioso cristão maior do mundo, com 150 metros. Sua arquitectura é inspirada na Basílica de São Pedro em Roma, e contém a maior área de vitrais do mundo: 7763 metros quadrados. Uma equipe composta por catorze nacionalidades diferentes trabalhou para a realização desses majestosos vitrais. A Basílica é ainda hoje um lugar fervoroso da fé católica na África. Outros pontos que chamam a atenção incluem os imensos edifícios do governo, os altos hotéis com 14 andares, as imensas escolas e até mesmo um lago artificial habitado por caimãs. E, no entanto, entre tudo isso, o que mais impressiona é o sentimento do vazio, do nada que envolve o que era um sonho passado. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    13º dia – YAMOUSSOUKRO / ABIDJAN / GRAND-BASSAM (P, A, J)
    Pequeno-almoço. Viagem em direcção a Abidjan. Entrada na cidade pelo novo bairro de Youpugon, não muito longe da floresta do Rio Banco. O bairro está a crescer muito rapidamente, não horizontalmente como a maioria das cidades africanas, mas verticalmente, com os seus grandes edifícios modernos e arranha-céus. A visita começa com uma curta viagem de ferry, uma ida ao mercado extremamente animado de Treichville, passando por “Cocody”, uma elegante área residencial que abriga o escritório do Primeiro Ministro e alguns edifícios coloniais. Continuação em direcção a Grand-Bassam. Almoço e jantar em restaurante local, tipo picnic ou no hotel. Alojamento.
     
    14º dia – GRAND-BASSAM / ABIDJAN (P, A, -)
    Pequeno-almoço. Grand Bassam é uma cidade velha construída num banco de areia entre a lagoa e o oceano. Foi a antiga capital da colónia francesa da Costa do Marfim e é actualmente uma estância de lazer marítima para o Abidjanese. Graças às avenidas tranquilas sombreadas por árvores altas, grandes buganvílias e os edifícios coloniais bem conservados, Grand Bassam tem uma atmosfera única. O antigo escritório de correios é uma jóia da arquitectura colonial francesa. O Museu do Traje no antigo palácio do governador é outra jóia arquitectónica, conta com uma grande escadaria exterior. Contém ainda uma colecção única de fantasias tribais, máscaras, ornamentos e fotografias etnográficas, que dá uma visão interessante sobre a história e a cultura do país. Continuação para Abidjan. Almoço incluído. Chegada e alojamento.
     
    15º dia – ABIDJAN  PORTUGAL (P, -, -)
    Pequeno-almoço. Dia livre para passear e conhecer esta interessante cidade. Em hora a indicar localmente transfer para o aeroporto. Formalidades de embarque e partida com destino a Portugal. Noite a bordo.
     
    16º dia – Chegada a PORTUGAL
     
    Legenda (P, A, J)
    P = Pequeno-almoço A = Almoço J = Jantar

     
    Fim dos nossos serviços.

    Datas, Preços, Suplementos

    DATAS de PARTIDA em 2019:
    NOVEMBRO: 09
    DEZEMBRO: 28 
     
    DATAS de PARTIDA em 2020:
    JANEIRO: 17
    FEVEREIRO: 28
    ABRIL: 10
    AGOSTO: 04*
    NOVEMBRO: 06 
    DEZEMBRO: 25
     
    * Devido à realização de festivais, estas datas de partida têm itinerários e tarifas diferentes. Consultar para mais informações.

    Preço por pessoa segundo ocupação no quarto (mínimo de 2 participantes):
     
    HOTÉIS PREVISTOS ou SIMILARES: 
    ABIDJAN – Hotel Azalai
    BOUAKE – Hotel Mon Afrik
    KONG – Albergue de Kong
    KORHOGO – Hotel Olympe
    BOUNDIALI – Hotel Le Paysan
    YAMOUSSOUKRO – Hotel Le Président
     
    PERÍODO DUPLO SINGLE
    09/11/19 3 820,00 € 4 255,00 €
    28/12/19 3 915,00 € 4 350,00 €
    17/01/20
    28/02/20
    10/04/20
    06/11/20
    4 515,00 € 5 340,00 €
    25/12/20 4 610,00 € 5 435,00 €
     

    Nota: Este programa foi calculado com base numa tarifa aérea acordada com a companhia aérea TAP PORTUGAL. Caso não haja disponibilidade de lugares nessa tarifa, ofereceremos uma alternativa no escalão tarifário seguinte, mediante suplemento. A classe de reserva que serve de base ao programa é a classe “E”.
     

    Suplemento de tarifa aérea com a TAP PORTUGAL:
     
    Período Classe E Classe U Classe L Classe K Classe A Classe W
    09/11/19 a 31/08/20 Sem supl. 70,00 € 146,00 € 220,00 € 298,00 € 372,00 €
    01/09/20 a 25/12/20 a informar a informar a informar a informar a informar a informar
     
     
    Taxas de aviação = 456,00 € por pessoa (valor a reconfirmar na data de emissão dos bilhetes)
     
    Preço final por pessoa = Preço do quadro de acordo com a opção escolhida + Suplemento de Tarifa Aérea (se existir) + Taxas de Aviação (a reconfirmar na altura da emissão dos Bilhetes)

    Outras Informações

    Nota informativa: A presente informação, não sendo vinculativa, funciona como um alerta para as condições que encontrará nos países africanos. É nosso dever, informar os nossos clientes face à possibilidade de encontrarem condições adversas, em termos logísticos e ao nível das infra-estruturas. Entre os aspectos mais sensíveis, destacamos os transportes e o alojamento, sendo o primeiro, o que nos desperta mais atenção, tendo em conta que os meios de transporte não são, de todo, equiparáveis, em termos de conforto e fiabilidade, ao padrão europeu; o segundo aspecto – alojamento -, apesar de muitos destes países apresentarem uma forte tradição turística, ainda não se “converteram” a esta indústria, pelo que a probabilidade de encontrar unidades de alojamento básicas e um serviço abaixo dos padrões estabelecidos, é elevada. Não poderíamos, também, deixar de fazer referência aos trâmites transfronteiriços, caracterizados, muitas das vezes, por um processo lento, ao qual estão associadas tentativas de obtenção de dinheiro. Por fim, relembrar que todos os clientes são responsáveis pelos seus objectos pessoais. É fulcral ir com a consciência de que estamos perante uma nova cultura, com raízes e tradições vincadas, para que possa desfrutar ao máximo da experiência.

    O preço inclui:
    - Passagem aérea Portugal / Abidjan / Portugal em classe económica
    - Transferes aeroporto / hotel / aeroporto
    - Circuito regular (em conjunto com outros participantes)
    - Transporte em Minibus / Microbus / Jipe 4x4
    - Guia local em Inglês, Francês, Alemão, Italiano ou Espanhol, de acordo com a nacionalidade dos participantes
    - Visitas e entradas de acordo com o programa
    - Alojamento em quartos standard
    - 23 refeições incluídas de acordo com o descrito no programa
    - Água mineral disponível nos transportes e durante as visitas
    - Todas as taxas de serviço
    - Seguro de viagem

    O preço não inclui:
    - Taxas de aviação (a informar depois de cálculo)
    - Transporte GRATUITO de bagagem de porão no avião
    - Vistos / Visas
    - Visitas ou refeições não mencionadas no programa
    - Água mineral e/ou outras bebidas às refeições
    - Gorjetas
    - Extras ou actividades de carácter pessoal
    - Serviços não mencionados

    Seguro de viagem:
    - Todas as viagens organizadas pela 4x4 Viagens, estão cobertas por um seguro de viagem.
    - Existem três tipos de seguro: o MULTIVIAGENS (incluído no preço), o MULTIVIAGENS VIP e o MULTIVIAGENS ALL IN.
    - As condições gerais de cada seguro poderão ser consultadas no final da página do nosso site.

    Passaporte, Vistos e Vacinas:
    - Passaporte com validade mínima de 6 meses.
    - É necessário visto de entrada na Costa de Marfim para cidadãos Portugueses
    - Obrigatória a vacina contra a febre amarela
    - Recomendada a profilaxia anti malária
    - Para outras vacinas recomendadas, aconselhamos a "consulta do viajante". www.sns.gov.pt/sns-saude-mais/saude-em-viagem/ 

    Condições especiais de cancelamento:
    Consultar as condições gerais e FIN (Ficha Informativa Normalizada)
    (ver na página principal do site).

    NOTAS IMPORTANTES:
    - Itinerário sujeito a alterações devido a condições Meteorológicas, podendo o itinerário sofrer alterações.
    - Cada participante poderá levar no Minibus / Microbus / Jipe 4x4, 20 Kg de bagagem em malas (tipo sacos), não sendo permitidas malas rígidas. 
    - As passagens de fronteira poderão ser morosas, pelo que se apela à paciência dos participantes.
    - De acordo com a disponibilidade de voos, poderá haver necessidade de reservar uma noite extra-
    Partilha esta viagem

    Caso necessite de mais informações, preencha o seguinte formulário

    A sua mensagem será encaminhada para os responsáveis e processada com a maior das brevidades. Obrigado
    ERRO
    Enviar